Artigos

24 de julho de 2013

Filha(o), o que você vai ser quando crescer?

quando-crescer

Foto: Acervo pessoal

Já te fizeram essa pergunta um dia?

Você já se viu fazendo essa pergunta?

E que resposta recebeu?

Filha(o) 1: Não tenho a menor idéia mãe!

Filha(o) 2: Nunca pensei nisso!

Filha(o) 3: Médico, mas nem adianta, pois não vou passar mesmo…. (e agora então, haja resiliência para encarar os longos anos de formação…)

Filha(o) 4: Banqueiro em Nova Iorque! Vou ser rico!

Filha(o) 5: Gamer, não preciso estudar, ganho todos os campeonatos e posso ganhar a vida assim, ganharei muito dinheiro com isso!

Filha(o) 6: Organizadora de eventos, tem muito mercado para organizar festas de adolescentes, isso dá muito dinheiro!

Filha(o) 7: Delegada, na novela que acabou mostrou que pode ser bem elegante e ter sucesso!

Filha(o) 8: Engenheiro de petróleo, mas será que até eu me formar vai ser legal?

Filha(o) 9: Juíza!!! Vou passar num concurso público!

Filha(o) 10: Vou ser comerciante como meus pais!

Como mãe, boadrasta, profissional e muito interessada nos temas “é possível ser feliz na carreira?” e “quantas pessoas seguiram a carreira que escolheram?”, sempre observei o despertar das escolhas de carreira.

A começar da minha.
Já contei por aqui.
Queria ser jornalista. Meus pais achavam uma carreira perigosa para a época e para a filhinha deles, e me convenceram a alguma coisa mais tradicional.
Fiz um teste vocacional naqueles institutos tradicionais e os resultados espantaram a todos, inclusive e especialmente a mim, também já contém isso aqui .
Poderia escolher um leque de profissões amplo e optei pela Informática, que era a “profissão do momento”, o que estava promissor em termos de destaque, mas que só tinha para vestibular na PUC, o que era inatingível $$$$$ para minha família e o vestibular para Matemática na UFRJ que derivaria para Informática a partir do 3o.ano da universidade. A relação candidato/vaga bem pior que a Medicina ..em 1976/1977…

Bem, todos sabem que gosto de desafios e contra tudo e contra todos, os Diretores do meu colégio chamaram meus pais e disseram que eu não passaria… eu passei….

E aqui estou depois de 34 anos de profissão, escrevendo no Projetando Pessoas sobre sonhos, carreira, profissão, liderança, gestão, vivências profissionais….. mesmo sem ter feito Jornalismo….

É a vida, e são os talentos, mesmo enrustidos que afloram, mas dia, menos dia….

Pois é, derivei, mas voltando ao assunto principal…

Você se preocupa em ouvir seus filhos e perceber seus talentos e orientá-los em relação à escolha da profissão e à carreira?

Você conversa com eles? O que você ouve?

Quais as carreiras estão despertando a atenção dos nossos adolescentes?

Tenho procurado conversar e ouvir as opiniões dos jovens em etapa de escolha de carreira e em especial os valores que estão norteando esse pensar.

Como daqui há 30 dias(24/08/13) o Projetando Pessoas completará 3 anos e sempre repagino o Site nessa ocasião, para um novo ciclo, muitas idéias estão borbulhando e essa é uma delas!

Conclamo a todas as mães, profissionais, professores, blogueiras que possuem experiências interessantes para contar que me enviem seus relatos de escolha profissional ou de conversas sobre profissão com seus filhos, alunos, parentes, afilhados, para que possamos debater a respeito numa sessão específica que estarei criando!

Aguardarei ansiosa:

O que você vai ser quando crescer?

Escreva para: projetandopessoas@hotmail.com

Comentários